Alimentação cariogénica: o que são alimentos cariogénicos e porque devemos evitá-los

03 novembro · 4 minutos

“Não comas tantos doces que faz mal aos dentes!”: quem nunca ouviu esta frase? Desde crianças, seja em casa, na escola ou nas primeiras consultas no dentista, uma das primeiras noções sobre saúde oral que nos é ensinada é que o consumo excessivo de açúcar pode ser prejudicial para os nossos dentes. Contudo, é importante assinalar que ainda que os doces sejam um dos principais aliados das cáries, não são os únicos alimentos que causam cáries nos dentes.

Neste artigo, vamos analisar a relação entre a alimentação e as cáries. Além disso, vamos dizer-te quais os alimentos que se podem considerar alimentos cariogénicos, ou seja, que causam cáries, e porque devem ser consumidos de forma moderada.

O que são alimentos cariogénicos?

Resumindo, os alimentos cariogénicos são os que favorecem a formação de cáries. Entrando em mais pormenores, os alimentos cariogénicos são aqueles que contêm hidratos de carbono que se decompõem em açúcares através da saliva na boca. Isso reduz o pH, o que pode fazer com que o esmalte dentário se deteriore e seja mais provável o aparecimento de cáries.

Quando falamos em alimentos cariogénicos falamos de alimentos açucarados e/ou ricos em amido e que, por essa razão, favorecem a formação de cáries. Os alimentos que causam cáries nos dentes são, por exemplo, rebuçados, bolachas, bolos, bebidas açucaradas, sumos concentrados, gelados e guloseimas, entre outros.

Fazer uma dieta cariogénica significa ingerir vários tipos de açúcares, como sacarose, frutose ou outros. Os aperitivos com amido também se podem decompor em açúcares na boca, por isso, também podem ser considerados alimentos cariogénicos.

Pormenor de mão a pegar num alimento cariogénico

Como atuam os alimentos cariogénicos?

Há bactérias que vivem de forma permanente na nossa boca e algumas delas são as que formam a placa bacteriana na superfície dos dentes.

Quando ingerimos alimentos cariogénicos, as bactérias da placa comem o doce e segregam-no em forma de ácidos. Estes ácidos são tão potentes que podem desmineralizar o esmalte que cobre os nossos dentes e, desta forma, vão-se formando as cáries.

Os ácidos prejudiciais da placa bacteriana formam-se na nossa boca sempre que comemos. Os ácidos continuam a afetar os dentes durante, pelo menos, 20 minutos. Depois, neutralizam-se e já não conseguem causar mais estragos. Por isso, quanto maior for a frequência com que fazemos uma alimentação cariogénica ao longo do dia, maior a frequência com que estamos a dar às bactérias o combustível de que precisam para provocar cáries.

Os especialistas recomendam um consumo moderado de açúcar. Uma dieta cariogénica, ou seja, rica em hidratos de carbono e açúcares fermentáveis, é prejudicial não só para a nossa boca, mas também para a nossa saúde em geral. Ao limitarmos a ingestão de açúcar, as bactérias não vão produzir tantos ácidos e, consequentemente, o nosso esmalte fica mais protegido e a nossa boca mais saudável.

Quais são os alimentos que “dão” cáries ou que são mais propensos a fazê-lo?

Tal como mencionado anteriormente, há alimentos que “dão” cáries que são bastante óbvios. É o caso dos doces, como bolachas, guloseimas, bolos, gelados e batidos.

No entanto, há outros que, embora não pareça à primeira vista, também são alimentos cariogénicos. Esses alimentos são arroz, massa ou cereais, entre outros. Isso deve-se ao facto de, como já mencionámos, os hidratos de carbono se decomporem em açúcares e estes se transformarem em ácidos depois de serem processados pelas bactérias da placa.

Que alimentos são considerados carioestáticos (não cariogénicos)?

Os alimentos carioestáticos, ou não cariogénicos, são alimentos que, ao não serem metabolizados pelos microrganismos da placa, não contribuem para o aparecimento de cáries. Em seguida, apresentamos-te uma lista de 10 alimentos não cariogénicos que, além de fornecerem vários nutrientes ao nosso organismo, nos ajudam a prevenir cáries.

10 alimentos não cariogénicos

Pormenor de espátula com amêndoas

Carnes

As carnes vermelhas, o frango e a carne de porco não produzem ácidos prejudiciais e que possam desmineralizar o nosso esmalte.

Peixe

O mesmo acontece com o peixe. Uma vez que não há fermentação bacteriana, não são formados ácidos prejudiciais ao esmalte dentário.

Queijo

O cálcio do queijo ajuda a repor os minerais dos dentes, por isso, não é um dos alimentos que causam cáries. Até ajuda na sua prevenção.

Frutos não ácidos

Os frutos ricos em fibra, como a maçã ou a pera, ajudam a eliminar a placa bacteriana.

Frutos secos

Os frutos secos, como as amêndoas ou as nozes, são baixos em açúcares e uma boa fonte de cálcio e proteínas.

Leite

Tal como no caso do queijo, o cálcio e os fosfatos do leite ajudam a reconstruir o esmalte dentário.

Iogurtes

O cálcio do iogurte natural ajuda a repor os minerais que se possa ter perdido.

Legumes

Outros alimentos carioestáticos são os legumes, sobretudo os que são ricos em fibras.

Consumir alguns legumes crus, como aipo, pepino ou alface, é muito benéfico para a prevenção de cáries e as suas propriedades anti-inflamatórias podem ajudar a combater doenças das gengivas, como a gengivite. Além disso, mastigar legumes mais crocantes ajuda a aumentar a produção de saliva.

Doces sem açúcar

Os doces que contêm edulcorantes artificiais não ácidos também são alimentos que contribuem para prevenir cáries.

Porque é que é importante ter isto em conta?

A prevenção é sempre a melhor ferramenta para manter uma boa saúde oral. O aparecimento de cáries, assim como de dor ou incómodo, pode implicar um problema maior do que pensamos e, por isso, a higiene é muito importante.

Além de uma dieta baixa em alimentos cariogénicos, uma higiene oral correta consiste na escovagem dos dentes três vezes ao dia após cada refeição. Utilizar regularmente outros produtos, como fio dental e elixires, também aumenta a eficácia da limpeza e, consequentemente, ajuda a evitar a acumulação de placa bacteriana e a formação de tártaro.

Além disso, é importante ir ao dentista regularmente para avaliações periódicas.

Por último, recomendamos a realização de uma destartarização profissional pelo menos uma vez por ano.

Na Impress, a tua saúde oral é o mais importante

Manter uma higiene correta é fundamental para uma boa saúde oral. Convém examinar com frequência o estado dos nossos dentes e das nossas gengivas, sobretudo se estiveres a pensar em melhorar o teu sorriso e começar um tratamento de ortodontia.

A nossa prioridade é a saúde dos nossos pacientes. Por essa razão, na Impress asseguramo-nos de que todos os pacientes iniciam o tratamento de ortodontia com uma saúde dentária e gengival adequadas.

Na Impress, contamos com pessoal qualificado e as ferramentas necessárias para a deteção e obturação de cáries. Além disso, podemos ajudar-te com outros tratamentos dentários que sejam necessários antes do tratamento de ortodontia.

Se queres iniciar um tratamento ortodôntico ou saber se este e outros tratamentos dentários estão disponíveis na clínica Impress mais próxima de ti, não hesites em contactar-nos! Podes marcar uma consulta no nosso website ou contactar-nos através do e-mail equipamedica.pt@smile2impress.com e por telefone ou por Whatsapp para o número +351 308 800 355.

Estamos à tua espera!

Partilhar artigo

Empresa

Quem somos?

Imprensa

Carreiras

O nosso blog

Trustpilot

*Por número de clínicas próprias
**Consulta os termos e condições desta promoção ao
clicar aqui. Promoção não válida para Impress Kids e Impress Super Light.

© 2023 SMILE2IMPRESS SL. Todos os direitos reservados